Arquitetura ARM Recebe Suporte a Ray Tracing RTX e DLSS

Na Game Developers Conference (GDC) desta semana, a NVIDIA revelou duas novas demos técnicas de suas tecnologias GeForce RTX em um processador MediaTek baseado em ARM, mostrando como as tecnologias de gráficos avançados chegarão a muitos mais dispositivos. As demonstrações são o mais recente marco em uma jornada para trazer gráficos avançados para sistemas baseados em ARM.

Ray Tracing e DLSS no ARM

As duas demos incluem Wolfenstein: Youngblood com Ray Tracing em tempo real e DLSS em uma plataforma baseada em ARM pela primeira vez. A NVIDIA também mostrou o demo de The Bistro rodando com Ray Tracing em ARM, com RTX Direct Illumination (RTXDI) e NVIDIA Optix AI-Acceleration Denoiser (NRD) habilitados.

As demos estão rodando em tempo real em um dispositivo equipado com um ARM MediaTek Kompanio 1200, que foi emparelhado com uma GPU GeForce RTX 3060.

As duas demonstrações são possíveis porque a NVIDIA portou vários kits de desenvolvimento (SDKs) RTX para funcionar em dispositivos ARM, incluindo:

  • Deep Learning Super Sampling (DLSS) – usa IA para aumentar as taxas de quadros e gerar imagens bonitas e nítidas para jogos;
  • RTX Direct Illumination (RTXDI) – permite aos desenvolvedores adicionar iluminação dinâmica aos ambientes de seus jogos.
  • NVIDIA Optix AI-Acceleration Denoiser (NRD) – usa AI para renderizar imagens de alta fidelidade com mais rapidez.
  • RTX Memory Utility (RTXMU) – otimiza a maneira como os aplicativos usam a memória gráfica.
  • RTX Global Illumination (RTXGI) – ajuda a recriar a forma como a luz é refletida em ambientes do mundo real.

Os SDKs RTXDI, NRD e RTXMU para ARM com Linux e Chromium já estão disponíveis. RTXGI e DLSS estarão disponíveis em breve.

O RTX redefiniu a indústria. Agora a NVIDIA está investindo em novas plataformas nas quais gráficos avançados podem ser implantados para que os jogadores tenham mais opções.

A notícia atraiu amplo apoio da indústria:

A NVIDIA estendendo o suporte RTX para ARM e Linux tem o potencial de beneficiar indústrias como a de jogos e automotiva, na qual os principais fabricantes usam Unreal Engine não apenas para visualização de design, mas também para cabines digitais e infotainment”, disse Nick Penwarden, vice-presidente de engenharia, Epic Games. “Sempre acolhemos recursos e SDKs poderosos que podem ser aproveitados em muitas plataformas.”

Wolfenstein: Youngblood é o primeiro jogo RTX para PC a ser mostrado em um sistema baseado em ARM, uma prova da flexibilidade, potência e natureza otimizada do motor iD Tech”, disse Jim Kjellin, diretor de tecnologia da Machinegames. “Um jogo baseado em iD Tech rodando em uma CPU ARM com Ray Tracing habilitado é uma etapa significativa em uma jornada que resultará em muito mais plataformas de jogos disponíveis para todos os desenvolvedores de jogos.”

RTX é a tecnologia mais inovadora para jogos de PC nas últimas duas décadas”, disse PC Tseng, gerente geral da unidade de negócios de multimídia inteligente da MediaTek. “A MediaTek e a NVIDIA estão lançando as bases para uma nova categoria de PCs de alto desempenho baseados em ARM.”

O suporte RTX para ARM e Linux abre novas oportunidades para os desenvolvedores de jogos fornecerem experiências mais imersivas em uma ampla variedade de plataformas”, disse Mathieu Muller, gerente técnico sênior de produtos gráficos de ponta da Unity. “Com os recursos gráficos de ponta da GeForce RTX, os desenvolvedores do Unity direcionados às plataformas ARM terão mais ferramentas em sua caixa de ferramentas para criar.”

Entusiasta do mundo dos games desde muito cedo, iniciou sua jornada muito jovem já salvando o mundo de um apocalipse zumbi, depois disso voltou no tempo para resgatar princesas e combater vilões amórficos. Sempre teve como sonho trabalhar com games, seja na criação, desenvolvimento, ou, neste caso, falando sobre eles. Hoje é fundador e administrador do Games Alheios.

Afonso Baldez

Entusiasta do mundo dos games desde muito cedo, iniciou sua jornada muito jovem já salvando o mundo de um apocalipse zumbi, depois disso voltou no tempo para resgatar princesas e combater vilões amórficos. Sempre teve como sonho trabalhar com games, seja na criação, desenvolvimento, ou, neste caso, falando sobre eles. Hoje é fundador e administrador do Games Alheios.